quinta-feira, julho 10, 2014

SKYROAD GRANDFONDO - SERRA DA ESTRELA - 19JUL14


JOSÉ GOUVEIA

LAMEGO BIKE

DISTÂNCIA - 140 K

ACUMULADO - 4600 D+

FRONTAL - 649

APOIO - Oficina das Bikes










RESCALDO

E porque as condições meteorológicas estavam como se fosse um inverno rigoroso, a organização optou por neutralizar a prova, ia eu com 72 K nas pernas, mas.......



O Skyroad Grandfondo é um dos objectivos deste ano. Eventos cicloturísticos de grande exigência tanto pela distância como pelo acumulado.


Para este dia, tinha-mos o MedioFondo (70K) e o GrandFondo (144). Claro que eu tinha que ir ao que demora mais tempo, pelo mesmo preço aproveito o dobro do empeno, o dobro do sofrimento e como resultado tenho também o dobro da satisfação.

Assim, lá me dirigi no dia anterior para a Serra da Estrela. Fiz uma visita à Torre ainda na sexta feira de tarde. Sim muito frio, mas nada como o tempo que se fez sentir hoje.



Fiquei alojado neste espaço hoteleiro na localidade de Pinhanços a 9 Kms de Seia.
Jantei no restaurante em frente, pertencente ao mesmo proprietário.
Depois de um jantar bem consistente de acordo com a prova do dia seguinte, dediquei-me aos preparativos e fui tentar dormir.


Cedo levantei-me como apanágio da minha pessoa, e dirigi-me para Seia.
Depois de equipar-me e preparar a minha princesa dirigi-me para a Box de partida. Sendo eu o Frontal Nº 649, estava na Box D. Ocupei o tempo que faltava para a partida (08:00) em amena cavaqueira com outros participantes. O tema principal da conversa era o tempo que se fazia sentir.

À hora em ponto dá-se a partida ( uns 800 participantes) e nesse preciso momento começa a chover. Ainda não tinha-mos saído de Seia e já ia completamente encharcado. 

Mas se fosse fácil, claro que nem tinha vindo. 

Consciente do percurso difícil nos últimos 16 Km (Manteigas à Torre), impus o meu ritmo de cruzeiro, nas 140/150 ppm.

As subidas faziam-se em gestão, mas preocupante eram as descidas (só uma). De Portela do Arão (K22) até Vide (K30) foi um calvário. Muita água na estrada e muita caruma dos pinheiros (caída, provocada pelo vento forte), fazia com que os ciclistas descessem a médias inimagináveis.

Frio e chuva continuavam a fustigar-nos acompanhada de ventos fortes. As pernas e os joelhos estavam OK.

Ao Km 60 ia com uma média de 21 K/h, muito bom para cumprir com o meu objectivo de fazer a prova na casa das 7 h, ON FIRE.

Nesse momento passa pessoal da organização e informa-me que a prova foi neutralizada, porque as condições meteorológicas na Torre eram adversas. Um calafrio me percorreu a coluna. ARRE PORRA.

Assim, ao Km 72 depois da subida de Loriga teríamos que seguir para Seia.

Não fiz a subida do Adamastor, não desci a Manteigas, não subi o glaciar até ao Centro de limpeza de neve e não fiz o (calvário) final até à Torre. 

Mas hei-de lá voltar em breve para fazer o percurso todo, nem que vá sozinho.

Não posso deixar de dar os PARABÉNS à organização do SkyRoad pela forma como esta prova estava organizada. 

A decisão de neutralizar a prova foi a mais sensata como precaução da integridade física dos ciclistas. 

Até à próxima ADORO SkyRoad Grandfondo.




1 comentário:

  1. Caro amigo boa prova , a semana passada estive a estagiar uns dia na estrela e toma atenção da rotunda de Loriga até a Lagoa Comprida muitas pendentes 12 a 14% e atenção aos dois últimos kms antes de chegar a Lagoa muito... muito duros. Nos a caminho do Tour

    ResponderEliminar